A Demonstração de Resultado de Exercício (DRE) é um documento contábil obrigatório para as empresas de capital aberto, mas que pode ser utilizado por qualquer empresa como relatório financeiro.

Ela mostra o lucro ou prejuízo em um certo período de tempo e documenta as origens dessa consequência. O lucro ou prejuízo é determinado ao se somar todas as receitas e subtrair todas as despesas tanto das atividades operacionais quanto das não-operacionais.

A DRE normalmente exibe informações como receita, custos, lucro bruto, despesas administrativas e de vendas, outras despesas e receitas, impostos pagos e o lucro líquido, sempre organizadas de uma maneira coerente e lógica.

Neste artigo, você entenderá melhor o que é demonstração de resultados e qual a sua importância na empresa. Em seguida, conhecerá as informações mais importantes desse relatório. Ao final, entenderá como a DRE pode ser vantajosa para a sua gestão muito além da mera obrigatoriedade fiscal. Confira!

O que é Demonstração de Resultado de Exercício (DRE) e qual é a sua importância?

A DRE é um relatório que fornece uma apresentação do desempenho da empresa, ordenando lucros e custos ao longo de determinado período de tempo. Esta informação é usada por investidores e potenciais fornecedores para avaliar o valor potencial do negócio, de suas ações e de se fornecer crédito.

Além disso, a gerência da própria companhia pode se valer da demonstração de resultados para tomar decisões, como investir mais em certa linha de produtos, fazer cortes em um departamento ou até mudar a sede da empresa.

A DRE é importante por mostrar, com clareza, se a empresa dá lucro e quanto. As receitas e despesas totais ficam listadas. Ao subtrair as despesas das receitas, temos o lucro total no período, geralmente um trimestre ou um ano. Uma empresa tem que dar lucro de forma consistente ao longo prazo, para ser considerada uma opção segura de investimento e manter saúde para remunerar seus funcionários e poder crescer.

A DRE é obrigatória para as S.A

A divulgação da DRE no Diário Oficial é uma obrigação legal para sociedades anônimas. Para tanto, a Demonstração de Resultados de Exercício deve ser anual, correspondente ao ano-calendário (como no Imposto de Renda Pessoa Física). Tirando este fato, ela também pode ser feita mensalmente ou a cada trimestre, inclusive para facilitar o trabalho da compilação anual.

Como a demonstração de resultados fornece um diagnóstico claro da lucratividade da empresa, ela atrai a curiosidade de muita gente. Isto dá ao negócio um incentivo para produzir a DRE mais de uma vez por ano — se for o caso, compartilhando apenas com pessoas-chave, como gerentes, investidores e potenciais parceiros e fornecedores.

A DRE tem ainda o papel de evitar fraudes. Se a empresa comprou um equipamento caro e tem muitas parcelas a pagar, ou se tem qualquer dívida, essa informação constará do documento.

Como publicar a DRE no Diário Oficial

Como explicamos antes, a publicação da DRE é obrigatória para as Sociedades Anônimas. Na verdade, o próprio balanço patrimonial é de publicação obrigatória, e dentro dele, você poderá diagramar a sua demonstração de resultados.

Como exemplo, veja esta publicação de balanço de 2020 na Imprensa Oficial de São Paulo, dentro dela, é possível encontrar a DRE.

Além disso, o e-Dou publicou um post sobre as normas e como publicar o balanço patrimonial da sua empresa, mas não deixe de continuar a leitura deste artigo antes para entender mais sobre a demonstração de resultado do exercício em si.

Quais os principais itens da DRE?

Existem diferentes modelos ou templates para o DRE. O mais simples é o formato em "passo único". Todas as receitas aparecem no começo e todas as despesas ao final. O segundo total é subtraído do primeiro e pronto!

No formato em vários passos, as entradas operacionais são separadas das não-operacionais. As despesas, por sua vez, são deduzidas ao longo das linhas, para refletir em itens como receita líquida, lucro bruto e resultado antes e depois dos impostos.

Uma estrutura básica sugerida pelo SEBRAE é esta:

(+) Receita bruta
(-) Deduções e abatimentos
(=) Receita líquida
(-) CMV (Custos de mercadorias vendidas)
(=) Lucro bruto
(-) Despesa com vendas
(-) Despesas administrativas
(-) Despesas financeiras
(=) Resultado antes do IRPJ e CSLL
(-) Provisões IRPJ e CSLL
(=) Resultado líquido

Sendo que itens marcados com (+) representam as entradas, (-) as saídas, e (=) o resultado obtido a partir dos cálculos anteriores na tabela. Ainda, é possível incluir mais variáveis para montar a DRE, de acordo com o que é necessário ao seu negócio, e sempre respeitando o princípio de Regime de Competência.

Exemplo de DRE - Demonstração do Resultado de Exercício

Como dito anteriormente, a DRE apresenta seus resultados de acordo com determinado período de tempo, seja ele anual, trimestral ou mensal. Abaixo, vamos mostrar um exemplo com números fictícios da demonstração de resultado do exercício aplicada para medir o resultado líquido de uma empresa do Simples Nacional ao longo de 3 anos.

exemplo de DRE do simples nacional

Este é só um exemplo básico para você entender como funciona a disposição de dados e os cálculos dentro da DRE. Para uma análise de fato, é preciso incluir mais dados sobre custos de mão de obra, pró-labore, contribuições sociais, investimentos, entre outros, e deixá-los bem claros dentro do documento.

Essa tabela também pode ser utilizada para fazer projeções sobre um negócio futuro, e descobrir se é viável ou não investir em sua abertura.

Como usar a DRE para vantagem competitiva no negócio?

A demonstração de resultados vai muito além da "bottom line", ou seja, se deu lucro e quanto (sem falar na obrigatoriedade legal). As informações auxiliam a gerência a tomar várias decisões importantes com segurança. Veremos algumas!

Na saúde financeira do negócio

Uma das principais vantagens da DRE não está na mera soma total de receitas e despesas, mas no esclarecimento das diferentes categorias de entradas e saídas. Elas passam a ser classificadas de acordo com sua natureza. Isto fornece à gerência uma visão mais precisa a respeito de itens com endividamento e estratégias de financiamento.

A saúde real da empresa também passa a ser melhor compreendida: ganhos vindos de investimentos ou empréstimos serão bem distintos daqueles feitos com vendas.

Margem de lucro

Com a demonstração de resultados, sua empresa pode detectar que uma determinada linha de produtos simplesmente custa muito em relação à receita e decidir sair desse mercado. Um grande volume de vendas pode camuflar uma baixa lucratividade diante de uma gestão mais tradicional ou baseada em impressões. Nos cálculos precisos da DRE, os verdadeiros resultados falarão mais alto.

Corte de gastos

Com tudo discriminado por origem, fica fácil saber se uma certa despesa está alta: é só ver se um setor ou departamento compra a mesma coisa por menos. Se o RH ou o setor de compras está gastando muito com telefone, por exemplo, pode ser o caso de contratar um novo plano. A evolução dos custos ao longo do tempo também ajuda a enxergar se alguma despesa anda a um ritmo mais acelerado do que as outras.

O planejamento bem-sucedido nos negócios requer equilibrar uma série de variáveis e opções, de preferência contando com números sólidos que permitam conclusões firmes.

A DRE fornece mais clareza sobre as diferentes receitas e despesas da companhia e permite que a gerência diagnostique e compare o desempenho de cada setor, departamento ou linha de produtos. Além de ajudar a corrigir o que está errado, fornece a investidores e bancos uma visão mais precisa da saúde da empresa.

Este texto foi útil para você? Então continue no nosso blog e confira como fazer um plano de contas contábil.

Você também pode gostar

Receba conteúdos sobre
gestão fiscal por e-mail!

Receba, armazene, e gerencie documentos fiscais eletrônicos com agilidade e segurança

Imagem ilustrativa do sistema da ConexãoNF-e