Uma das principais estratégias para que qualquer empresa consiga manter a saúde financeira e o crescimento do seu negócio, é saber como aumentar o capital de giro, por se tratar do dinheiro obtido para cobrir as despesas que fazem parte do cotidiano da companhia — além de viabilizar novos investimentos e compras de produtos e possibilitar seu funcionamento nos momentos de crise.

Ele é composto do resultado entre o ativo circulante da empresa, que são os recursos disponíveis em caixa, bancos, instituições financeiras e valores a receber em curto prazo, subtraído do passivo circulante, que é o montante de contas a pagar e despesas.

Devido à sua importância, é essencial entender e aplicar as melhores práticas para aumentar e manter o capital de giro sob controle e, assim, evitar possíveis problemas no futuro. Por isso, preparamos algumas dicas incríveis para ajudá-lo nesse processo. Acompanhe!

Como aumentar o capital de giro da empresa?

Existem várias medidas que podem ser implementadas para aumentar o capital de giro do negócio. Você verá algumas delas a seguir.

1. Monitore a receita

É imprescindível que você saiba exatamente qual é o valor das despesas fixas e quanto dinheiro o negócio está produzindo. A partir disso, é possível realizar a precificação dos produtos ou serviços de modo que cada um deles tenha participação na quitação dos custos fixos da empresa, o que possibilita um planejamento do que é preciso ser vendido no dia, mês e semana.

Dessa forma, fica mais fácil estabelecer estratégias que mantenham a organização lucrativa, colaborando para ter um capital de giro satisfatório.

2. Diminua as despesas

Avalie seus custos fixos e variáveis para identificar se existem possibilidades de melhorar o fluxo de caixa — por exemplo, compra de matéria-prima, materiais de escritório e equipamentos podem ser reduzidos pela negociação com os fornecedores.

3. Controle do fluxo de caixa

Manter o fluxo de caixa controlado é primordial para manter e aumentar seu capital de giro, pois ele se refere às entradas e saídas de dinheiro da empresa, e se houver mais contas a pagar do que a receber, seu capital de giro pode ser diretamente comprometido.

Estabeleça métricas, crie planilhas de entrada e saída, invista em tecnologia, arquive corretamente todos os documentos e sempre fique atento aos números do seu fluxo de caixa. No nosso blog temos um artigo específico para você entender melhor como controlar o fluxo de caixa da sua empresa, vale conferir.

4. Faça um planejamento financeiro

Estruturar todas as entradas e saídas de capital é essencial para que você entenda melhor os fluxos. Além disso, o planejamento financeiro permite uma visão mais ampla da empresa, assegurando tomadas de decisões mais acertadas.

Escolha profissionais qualificados para realizar essa tarefa com organização e tente sempre orientar sobre os melhores caminhos a seguir. Isso ajuda a ter um controle maior do que esperar de resultados.

5. Realize um controle de estoque eficiente

O estoque tem uma grande interferência sobre o capital de giro de um negócio. Por exemplo, ter um estoque parado por muito tempo pode colocar a empresa numa situação difícil em relação às finanças.

Além disso, caso tenha itens insuficientes no estoque, pode perder vendas, o que afeta a sua lucratividade. Por este motivo, é necessário encontrar um ponto de equilíbrio, para que o estoque apresente uma quantidade adequada de cada produto, que pode ser definido por meio do estudo de histórico de vendas e das sazonalidades que ocorrem ao longo do ano.

6. Negocie prazos com os fornecedores

Pode ser que, no início, negociar os prazos com fornecedores seja desafiador. Contudo, à medida que for estabelecido um bom relacionamento com eles, realizando todos os pagamentos em dia, a empresa vai conquistando um pouco mais de crédito e liberdade para negociar prazos.

Tenha uma relação de confiança com seus fornecedores, seja colaborativo e deixe claro que espera que eles também colaborem com sua empresa. Uma boa reputação pode resultar em prazos de pagamento melhores e que contribuam para a estabilidade financeira do seu negócio.

7. Acompanhe os indicadores

Não adianta implementar todas as estratégias mencionadas acima e não compreender sua efetividade. É muito importante que você acompanhe os indicadores de capital de giro, lucratividade e margem de contribuição da companhia, para que consiga ficar por dentro daquilo que realmente é uma necessidade do negócio.

8. Considere a antecipação de recebíveis

Caso seu capital de giro já esteja comprometido, a antecipação de recebíveis pode ajudar a recuperar esse montante, com menos burocracias e riscos de dívidas que um empréstimo possa oferecer.

Nessa prática, as Factorings, os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios ou as Instituições financeiras compram os títulos das vendas realizadas a prazo pela sua empresa e repassam o valor de volta, decrescido dos juros e impostos sobre o montante. Riscos de inadimplência são reduzidos e as taxas tendem a ser menores do que em um empréstimo.

Como o investimento em software de gestão e o uso da tecnologia podem manter a empresa saudável no mercado?

O uso da tecnologia, por meio da implementação de ferramentas adequadas, por exemplo, os softwares de gestão, representa uma importante viabilidade para o aprimoramento dos processos, além de ser uma estratégia competitiva essencial para que a empresa conquiste um lugar de destaque no mercado, mesmo em um cenário extremamente competitivo.

Executar um controle financeiro por meio dos recursos disponíveis é indispensável para a existência do negócio, tendo em vista que, quando realizado incorretamente, pode gerar transtornos capazes de inviabilizar a continuidade da organização, levando-a à falência.

Estar em dia com o cumprimento das operações comerciais, administrar o estoque e fazer o controle do fluxo de caixa são algumas ações que devem fazer parte da busca pelo aumento de capital financeiro e manutenção da saúde financeira da instituição. É essencial, então, contar com soluções tecnológicas para ajudar nesse processo, com o intuito de otimizar o tempo, eliminar as chances de erros e garantir mais segurança e credibilidade das informações obtidas.

Soluções como da ConexãoNF-e, por exemplo, auxiliam no departamento financeiro no que diz respeito a gestão de documentos fiscais, fazendo recebimento e guarda automáticos de NF-es e CT-es emitidos contra o CNPJ da empresa, evitando assim fraudes, erros e multas.

Quais são os impactos negativos de uma má administração de capital de giro?

Sem um capital de giro suficiente, a probabilidade de sobrevivência de uma organização diminui de forma relevante, considerando que a função desse recurso é garantir a continuidade das operações. Entre os principais prejuízos causados pela má administração do capital de giro estão:

  • acúmulo de dívidas;
  • comprometimento das atividades do negócio;
  • problemas com fornecedores;
  • comprometimento das atividades da companhia;
  • insatisfação com os funcionários por falta de pagamento do salário;
  • negativação da reputação da empresa, entre outros.

Agora que você já sabe como aumentar o capital de giro da empresa, aproveite para colocar em prática as dicas que melhor atendam às necessidades do negócio e, assim, garantir um controle financeiro que forneça dados precisos, que permita um bom planejamento e que possa evitar problemas relativos à falta de capital, promovendo um desenvolvimento saudável.

Se você gostou do nosso conteúdo, não deixe de conferir como incentivos fiscais podem ajudar no crescimento da sua empresa!


Você também pode gostar

Receba conteúdos sobre
gestão fiscal por e-mail!

Tenha total controle sobre as NFe e CTe emitidas contra sua empresa

Imagem ilustrativa do sistema da ConexãoNF-e