Compreender as diferentes relações em sua empresa e o impacto delas na gestão financeira da organização é essencial para o processo de tomada de decisão e perpetuação do negócio.

Tendo isso em vista, vamos mostrar neste post como entender melhor a relação entre a gestão financeira e estoque, qual ferramenta pode ser utilizada para otimizar o diálogo entre essas duas áreas e quais são as vantagens que a sua empresa pode obter nesse processo. Confira!

Entendendo os estoques

Para entender a importância entre a gestão financeira e estoque, é preciso compreender como funciona essa última área. Em uma empresa, os estoques são essenciais para o armazenamento das mercadorias e matérias primas, o que impacta diretamente na produção e comercialização dos produtos.

Logo, é preciso ter um controle adequado desse setor, levando em consideração que a atividade da empresa definirá se ela terá um maior ou menor nível de estoque, e que os tipos de produtos comercializados devem seguir um padrão de giro de estoque.

Por exemplo: uma empresa de tecnologia em serviços terá um estoque reduzido, já que ele não é o foco da atividade empresarial. Já em indústrias e comércios, o estoque é um dos principais elementos, pois tem muita influência nos gastos e vendas, além de possuir riscos em produtos perecíveis ou sazonais.

Gerindo os estoques

A gestão de estoques é uma área extremamente importante e sensível em uma organização. Além de verificar todas essas questões relacionadas ao tipo de atividade, custos e excessos, também é necessário estar sempre atento a eventuais faltas de produto, já que nessa situação o cliente pode procurar a concorrência.

Outro ponto de atenção na gestão de estoque é a política de compras da empresa. Uma organização precisa estar atenta aos bons preços, condições de pagamento e também às entregas e qualidade dos produtos e mercadorias que está adquirindo.

Falando de forma mais específica nas finanças, quando pensamos em estoques, um ponto crucial é a compreensão dos ciclos da empresa. No ciclo econômico, considera-se somente a aquisição dos produtos até a venda, sem o recebimento financeiro.

Já o ciclo operacional vai levar em consideração o tempo de aquisição até o recebimento do cliente. Por fim, o ciclo financeiro vai incluir o tempo que a empresa levou desde a compra até o momento de pagar os fornecedores. Mas por que esse entendimento é necessário?

Fazendo a integração da gestão financeira e estoque

Os ciclos econômico, operacional e financeiro vão auxiliar na compreensão da relação da gestão financeira e estoque. Afinal, as empresas precisam comprar, produzir, vender e receber — e esse é um ciclo contínuo. Mas, para isso, elas precisam ter um equilíbrio em suas finanças e, caso isso não ocorra, elas podem ficar descapitalizadas.

Alguns erros são comuns nesse processo. Algumas organizações acabam fornecendo um tempo muito dilatado aos seus clientes e recebem de seus fornecedores um tempo menor para o pagamento de suas dívidas. Assim, ficam sem recursos para o pagamento de suas contas.

Aqui, é preciso ter um bom relacionamento com seus fornecedores e negociar com eles em busca de um equilíbrio maior para evitar a descapitalização. Outra questão é a inadimplência gerada por um grande número de vendas a prazo sem recebimentos.

Esse tipo de problema pode minar as finanças de qualquer negócio e fazer com que a empresa fique sem capital de giro. Esse conceito de capital é essencial para o financiamento das atividades operacionais de uma organização.

Para evitar a inadimplência, é crucial que a gestão financeira inclua um bom acompanhamento dos recebimentos e eventuais problemas com clientes. Caso existam evidências de não recebimento, é preciso agir e fazer a cobrança de maneira pontual e efetiva, evitando a perda.

Como fazer o controle de estoque?

Agora que você já sabe qual é a relação entre gestão financeira e estoque, e como um tem forte impacto no outro, é preciso saber também formas de manter a gestão de estoque eficiente de modo a controlar e manter a relação entre as áreas.

O primeiro passo é conhecer a sua empresa:

  • O que você vende?
  • Em quanto tempo vende?
  • Seus produtos são perecíveis?
  • As vendas disparam em épocas sazonais?

Respondendo às perguntas acima e tendo conhecimento da sua capacidade produtiva e de armazenagem, é possível escolher as melhores formas de controlar seu estoque.

É importante lembrar de dois pontos cruciais nessa escolha: excesso de estoque parado significa capital imobilizado, e é um forte indício da falta de liquidez. Enquanto isso, a falta de estoque para venda ou produção pode incorrer em perdas de negócios e de dinheiro. Por isso, calcular o giro de estoque é essencial, aprenda neste artigo!

Utilizando o fluxo de caixa

O fluxo de caixa atua na gestão financeira e estoque de uma organização de maneira concreta. Ele auxilia na organização das finanças, entendimento e racionalização dos gastos. Consequentemente, o fluxo de caixa permite também o equilíbrio tão necessário de recursos para a gestão das atividades operacionais — entre elas, o estoque.

Outra grande vantagem do uso do fluxo de caixa junto ao estoque é o monitoramento das mercadorias que têm maior e menor saída. Com o auxílio do fluxo de caixa, determina-se qual é a demanda pelos produtos, ou seja, se ela é linear, estável ou sazonal.

Com base nessa observação e utilização da curva ABC, por exemplo, pode-se definir a representatividade dos itens do estoque em sua organização. Esse raciocínio auxilia na hora das compras e também para que essas mercadorias sejam comercializadas, evitando desperdícios e ociosidade.

Junto à política de compras, devem ser estabelecidas aquisições diferenciadas para aquelas que têm menor saída e estratégias de vendas para que tais mercadorias não fiquem paradas sem comercialização. Caso a empresa tenha alta demanda devido a épocas especiais, como fim de ano ou datas comemorativas, também poderá fazer compras diferenciadas, evitando não só excessos, mas também o desabastecimento e a perda de vendas.

O uso da tecnologia nesse contexto é essencial. Além da integração de processos, essas soluções permitem a análise de relatórios diferenciados por linha produtiva, produtos ou resultados como um todo, facilitando a tomada de decisão.

Conclusão

Você acabou de entender a relação da gestão financeira e estoque. Como vimos, foi necessário compreender que existem diferentes tipos de estoques ligados ao tipo de organização e atividade empresarial. Além disso, compreendeu que uma boa gestão de estoques deve levar em consideração as particularidades, desenvolver uma política de compras e permitir ao gestor o entendimento dos diferentes ciclos da organização.

Esses ciclos estão relacionados à gestão financeira da organização e uma ferramenta elementar nesse processo é o fluxo de caixa. Com ele, além da organização das disponibilidades, é possível atingir o equilíbrio do capital de giro e fazer o devido acompanhamento da movimentação de entrada e saída de mercadorias dentro da atividade operacional. Esse controle permite um melhor gerenciamento e racionalização no estoque da organização.

Agora que você já entendeu como funciona a relação entre a gestão financeira e estoque, que tal conferir nosso post sobre como a automatização da nota fiscal otimiza o controle de estoque?

Você também pode gostar

Receba conteúdos sobre
gestão fiscal por e-mail!

Receba, armazene, e gerencie documentos fiscais eletrônicos com agilidade e segurança

Imagem ilustrativa do sistema da ConexãoNF-e