Saber como calcular o giro de estoque é imprescindível para garantir uma gestão de alto desempenho, trazendo mais eficiência para o negócio e segurança no processo de tomada de decisões.

Nesse sentido, os gestores e gerentes devem conhecer alguns tipos de cálculos essenciais para o sucesso do negócio, e o cálculo de giro de estoque é um deles.

Todos os profissionais que trabalham nos setores de finanças e logística sabem que a gestão do estoque é necessária para a manutenção das atividades e a garantia de um atendimento adequado às demandas dos clientes.

Pensando nisso, desenvolvemos este artigo especial que ajudará você a entender melhor o que é o giro de estoque, como calculá-lo e como encontrar o nível ideal para o seu negócio. Ficou curioso? Então continue a leitura e aprofunde o seu conhecimento sobre o assunto!

O que é giro de estoque?

O giro de estoque é um indicador que ajuda a medir a velocidade com que o inventário de uma empresa é vendido. Ou seja, é o tempo médio que uma mercadoria permanece no estoque.

Trata-se de uma ferramenta importante no gerenciamento do estoque e da empresa, pois reflete a eficiência geral da cadeia de suprimentos e traz informações importantes para o planejamento financeiro do negócio.

Independente do tipo de empresa — indústria, pequena empresa ou comércio —, é essencial adotar estratégias para administração do estoque, criando um ambiente mais seguro e favorável para o desenvolvimento da organização.

Com uma gestão eficiente, é possível analisar quais produtos contribuem para o acréscimo nos lucros e quais podem estar gerando resultados negativos para o negócio. E é justamente por isso que essa ferramenta ocupa um papel importante em todo o processo de gestão das finanças e tomada de decisões da empresa.

Qual é a sua importância dentro da empresa?

A partir do momento que a empresa conhece o giro de estoque ela consegue ter uma percepção mais adequada do volume do inventário e do posicionamento da empresa.

Por exemplo se o gestor perceber que a rotatividade dos produtos em estoque está alta, pode ser sinal de que alguns produtos estão com uma demanda mais elevada. Por outro lado, se a rotatividade estiver baixa, pode ser sinal de que a demanda pela mercadoria está baixa, que a empresa vem tendo resultados abaixo do esperado ou que está fazendo uma gestão de compras e controle de estoque ineficiente.

Em qualquer situação, o controle de estoque ajuda o gestor a ter uma visão mais completa sobre todo o negócio e sobre as ações empresariais necessárias para garantir o melhor desempenho da organização.

Como fazer o cálculo do estoque?

Como você pode ver, o giro de estoque ajuda a alcançar um equilíbrio entre a produção da empresa e o ritmo de venda dos seus produtos.

Nesse contexto, uma das principais dúvidas dos gestores é: como alcançar o giro de estoque ideal para manter o equilíbrio entre a produção e as vendas?

Você precisa ter em mente que esta resposta vai depender muito da realidade do seu negócio e é justamente por isso que o cálculo de giro de estoque ajuda e encontrar uma resposta adequada de acordo com as particularidades de cada organização.

Antes de conhecer a fórmula, você deve considerar dois pontos de partida importantes da gestão de estoque. O primeiro é que a empresa nunca deve ficar sem produtos para a venda. E o segundo é que, quanto menor o estoque, menor será a necessidade de imobilizar capital.

E é com essas informações que partimos para a fórmula de cálculo do giro de estoque médio:

GIRO DE ESTOQUE = TOTAL DE VENDAS / VOLUME MÉDIO DE ESTOQUE

Para ajudá-lo a entender, vamos inserir essa fórmula em um exemplo prático. Imagine uma fábrica de estantes que vende em média 2.000 estantes por ano. O estoque médio de estantes costuma ser de 200. Portanto:

Giro de estoque = 2.000 / 200

Total de giro de estoque 10

O resultado indica que o estoque de estantes deve ser renovado dez vezes por ano. Ainda, caso seja necessário saber o tempo médio de renovação dessas estantes, basta dividir o total de dias do ano pela quantidade de giros de estoque, conforme a fórmula:

Tempo médio do Giro de estoque: 365 / 10

Tempo médio do Giro de estoque: 36,5 dias

Essas informações vão ajudar o gestor a elaborar o orçamento empresarial, levando em consideração os gastos que a empresa vai ter para manter uma produção que supra o seu estoque 10 vezes ao ano. Ainda, a informação também é importante pois vai ajudar a empresa a planejar suas vendas.

O cálculo do giro de estoque também pode ser feito utilizando como base as informações sobre valores. Imagine que a mesma empresa tem um estoque médio de R$ 50.000,00 e um volume de vendas anual de R$ 600.000,00.  Nesse caso, aplicaríamos a mesma fórmula, considerando os valores, ou seja:

Giro de estoque = R$ 600.000,00 / R$ 50.000,00

Giro de estoque = 12 giros anuais

Existem diversas formas de aplicar informações ao cálculo de giro de estoque e elas devem ser avaliadas de acordo com a realidade e as particularidades da sua empresa.

É importante lembrar que a quantidade de giros de estoque e o tempo em que se faz essa mensuração varia de empresa para empresa, afinal, é normal que uma empresa que vende produtos perecíveis, como alimentos por exemplo, tenha um giro de estoque bem mais elevado que uma empresa que vende eletrodomésticos, e, portanto, a empresa que vende perecíveis pode calcular o giro de estoque em períodos menores de tempo.

Como calcular o nível de estoque ideal para a sua empresa?

O controle do estoque é importante para o crescimento do negócio. Nesse sentido, um estoque em excesso é sinônimo de falta de liquidez, enquanto a falta de estoque pode representar prejuízos significativos para o crescimento da empresa.

Para calcular o nível de estoque ideal na sua empresa é necessário ter em mãos informações sobre estoque, caixa e vendas. Elas representam os principais pontos que devem ser analisados em um processo de gestão de estoque.

Além disso, elas servem como base para que você estipule outros pontos essenciais para a identificação do estoque ideal na sua empresa: demanda, quantidade de estoque, modelo de reposição e características dos fornecedores. Entenda:

  • demanda: previsão de demanda de mercadorias a nível mensal e sazonal;
  • quantidade de estoque: porcentagem de cada item e o seu nível de saída;
  • modelo de reposição: pode ser contínuo ou recíproco. O contínuo ocorre por meio da reposição no momento em que o estoque atinge seu ponto de reposição. Já o recíproco, ocorre quando a reposição é previamente agendada;
  • fornecedor: a escolha de um fornecedor deve ser feita levando em consideração não só o preço, mas também a qualidade do produto e o cumprimento dos prazos de entrega.

Como você pode perceber, há várias formas de identificar qual é o estoque ideal para a sua empresa. Além de aplicar fórmulas matemáticas, é possível trabalhar com previsões e outras metodologias.

O mais importante é que o gestor tenha em mente que todo processo é muito importante para a proteção do negócio e qualidade na entrega do produto final. Além de favorecer as finanças da organização, ele aumenta a competitividade e oportuniza o crescimento da empresa.

Você ficou com alguma dúvida sobre como calcular o giro de estoque ou gostaria de compartilhar a sua experiência a respeito do assunto? Então deixe um comentário neste post!


Você também pode gostar

Receba conteúdos sobre
gestão fiscal por e-mail!

Tenha total controle sobre as NFe, NFSe e CTe emitidas contra sua empresa

Imagem ilustrativa do sistema da ConexãoNF-e