Empreender não é simples. Trata-se de um processo que exige dedicação e comprometimento por parte do empresário, que precisa estar disposto a lidar com os desafios, a burocracia e os riscos financeiros atrelados às operações de uma pessoa jurídica.

Dessa forma, o gestor precisa, antes de qualquer coisa, estar ciente de que os riscos fazem parte da trajetória de uma empresa em direção ao sucesso. Também deve entender que mesmo aqueles que chegam ao topo do seu mercado de atuação precisam conviver com incertezas e riscos inerentes a qualquer atividade.

Neste artigo trataremos dos riscos financeiros, apresentando aqueles que costumam ser mais enfrentados por uma empresa e como impactam nas operações. Também apresentaremos dicas que podem minimizar essas ameaças e contribuir para um desenvolvimento mais profissional e seguro do seu negócio. Acompanhe!

Riscos financeiros mais comuns no meio empresarial

Quando se fala em risco financeiro, devemos pensar em incertezas, algo sobre o qual o empresário não tem total controle. No meio empresarial, podemos citar quatro principais ameaças ao negócio: riscos operacionais, de crédito, de mercado e de liquidez.

Entenda um pouco mais sobre cada um deles a seguir.

1. Riscos operacionais

São todas as perdas que uma empresa pode ter em razão das ações de funcionários, de processos mal planejados, de sistemas que não atendem às necessidades satisfatoriamente e de eventos externos que possam causar algum impacto no funcionamento normal do negócio.

Como exemplo, podemos citar sistemas de informática de baixa qualidade, profissionais com pouca qualificação, erros na gestão de documentos (como notas fiscais e conhecimentos de transporte), entre outros.

Objetivamente, é muito difícil para o empresário medir os riscos operacionais, tendo em vista que eles são excessivamente subjetivos e dependem de diversos fatores.

2. Riscos de crédito

Esses riscos indicam o nível de confiança financeira de uma organização. São empresas que não mantêm as finanças totalmente em dia ou que já tiveram problemas com empréstimos e dívidas, bem como a inscrição em cadastros de restrição de crédito.

As empresas que são consideradas de maior risco pelo mercado têm mais dificuldade para conseguir empréstimos. Quando conseguem, os juros aplicados costumam ser mais altos.

3. Riscos de liquidez

Esse risco diz respeito à possibilidade de a empresa não conseguir honrar os seus compromissos financeiros, seja com fornecedores, seja com seus parceiros e funcionários. De forma geral, uma das principais razões para o problema tem a ver com uma gestão inadequada do fluxo de caixa e do capital de giro do negócio.

4. Riscos de mercado

Esse é o tipo de risco que não tem nenhuma relação com a vontade ou com as ações da empresa. Ele está relacionado, basicamente, ao mercado financeiro e às suas variações de preços, juros e taxas.

Na empresa, o principal impacto ocorre no lucro e no desempenho financeiro do negócio. Um planejamento financeiro pode até ajudar a evitar dores de cabeça, caso o mercado oscile significativamente. Entretanto, a empresa não tem muito controle sobre o que acontece na economia.

Formas de evitar esses riscos no seu negócio

Os riscos são inevitáveis e sempre estarão presentes dentro de qualquer negócio. É importante que todo profissional esteja ciente disso ao decidir ingressar no mercado do empreendedorismo para que tenha condições de lidar com a situação da melhor maneira possível.

Em alguns casos, é possível identificar os problemas a partir de uma análise aprofundada do negócio, o que pode incluir mapeamentos e a realização de auditorias e processos de compliance.

Os riscos operacionais são os mais fáceis de serem controlados pelo empresário. A partir do momento em que ele investe em organização e no planejamento do negócio, as chances de ter problemas com erros de funcionários ou em razão de uma gestão inadequada de documentos diminuem significativamente.

Hoje, um dos problemas mais comuns das empresas é a questão que envolve a gestão, o controle, a captura e o armazenamento de documentos fiscais. Após a instituição da nota fiscal eletrônica e da informatização da parte contábil das pessoas jurídicas, muitas empresas se depararam com uma dificuldade maior para fazer o controle desses documentos.

O uso da tecnologia nesses e outros aspectos operacionais é um ponto-chave, já que o mercado oferece inúmeras soluções para diversas demandas de organização de processos e de documentos dentro das empresas.

Com relação aos riscos de crédito e de liquidez, recomenda-se que o gestor invista em um bom planejamento financeiro. Assim, a empresa terá condições de manter suas contas em dia, estabelecendo uma boa reputação no mercado e ganhando a confiança tanto dos fornecedores quanto dos parceiros, clientes e dos próprios funcionários.

Essas ações contribuirão para que a empresa se fortaleça e consiga lidar com eventuais riscos de mercado que possam surgir ao longo da sua trajetória.

A tecnologia como solução para uma gestão financeira eficiente

Como você pôde ver, os riscos financeiros podem ser minimizados. O treinamento dos colaboradores e o uso da tecnologia são os dois pilares de sustentação para que você consiga alcançar maior eficiência e minimizar as ameaças em desfavor do seu negócio.

O uso de softwares específicos para o recebimento de notas fiscais eletrônicas tem sido uma das soluções utilizadas pelas empresas que tinham problemas com a gestão desses documentos. Além disso, sistemas integrados entre setores podem ajudar na gestão, reduzindo eventuais problemas de deficiência na comunicação entre a parte financeira e outras áreas da empresa.

O gestor tem a função de identificar e administrar os riscos, compreendendo como essas incertezas podem afetar o seu negócio e definir quais ações devem ser implementadas, a fim de minimizar as ameaças ou deixar a empresa preparada para lidar com eventuais problemas.

Com planejamento, organização e investimento em tecnologia, você consegue alcançar mais eficiência e produtividade, além de agregar qualidade e confiança às soluções que entrega para o mercado. Apostar em inovação e em ferramentas que otimizem o dia a dia da sua empresa não só ajuda na gestão dos riscos financeiros, como também contribui para o crescimento sustentável e o ganho de competitividade do seu negócio.

Você gostou deste artigo sobre os riscos mais comuns no meio empresarial? Então, aproveite para aprofundar seu conhecimento sobre gestão! Confira o nosso post com os principais impostos da nota fiscal.


Você também pode gostar

Receba conteúdos sobre
gestão fiscal por e-mail!

Tenha total controle sobre as NFe e CTe emitidas contra sua empresa

Imagem ilustrativa do sistema da ConexãoNF-e